“Insolação”, de Ivan Bunin

Terminei de ler Insolação (Objetiva, 2002), livro de contos do russo Ivan Bunin (1870-1953). Fiquei extasiado com esse Nobel de Literatura, que é tido como o Tchéckhov da Rússia pós-revolução (o que por si dispensa boa parte dos elogios, pelo menos a meu ver).

Pouco aclamado pela grande mídia, Bunin escreve com arrojo,  ironia e lirismo sobre a violência que nos condiciona homens. O autor tem uma versatilidade –  e muito do arrojo de que falei se dá por conta disso –  que permite tanto contos de maior fôlego, quanto contos breves, caceteiros,  de página e meia. Todos eles, enfim, precisos em cada palavra com que esse autor escolhe falar de amor,  melancolia,  ou tardes quentes da Rússia rural.

Excelente leitura. Terminei gratíssimo pela dica dada pelo amigo e escritor Mayrant Gallo.

Abraços.

Dênisson Padilha Filho.

“As feras”, de Roberto Arlt.

Roberto Arlt é mais um escritor argentino admirável. Não que seja mais um, mas porque   tanto Argentina quanto Uruguai, vizinhos queridos, têm uma literatura do século XX repleta de grandes nomes. Citar autores argentinos e uruguaios que me são caros seria tarefa deliciosa, mas isso iria prolongar o post

As feras ( Iluminuras)  é um volume de contos que nos traz arrepio e comoção, uma obra prima, enfim, por exaltar a literatura não só em sua dimensão narrativa, mas também em sua dimensão estética. A boa história contada com arte.

É sempre uma tarefa árdua falar sobre melhores textos de um determinado volume, mas,  aqui vão minhas dicas: comecem lendo o conto Ester Primavera. Depois leiam aquele que dá nome ao volume, As feras. O resto vai ser prazer, histórias primorosas de um dos mestres do século XX.

Abraços.

Dênisson Padilha Filho.

“Menelau e os homens” seguiu pra Feira.

Image

Amanhã, 8 de maio, 18h, na programação da Celebração das Culturas dos Sertões, Centro de Cultura Amélio Amorim – Feira de Santana, vai haver sessão de autógrafos de Menelau e os homens (Casarão do Verbo, 2012) , novo livro de Dênisson Padilha Filho.  A vastidão do Brasil, a solidão, a saudade e a aridez dos homens… tudo lá, nas páginas.

Apareçam para uma boa conversa e para desfrutarem do belo evento.

Um abraço.

Dênisson Padilha Filho.

Image

MENELAU E OS HOMENS em Feira de Santana

A Celebração das Culturas dos Sertões terá, em sua programação, um espaço dedicado às letras. Na terça-feira, 08, a partir das 18 horas, no Centro de Cultura Amélio Amorim – Feira de Santana, a literatura ambientada nas vastidões do Brasil será exaltada. Menelau e os homens (Casarão do Verbo, 2012) novo livro de Dênisson Padilha Filho, estará sendo autografado.

Apareçam para uma boa conversa e para desfrutarem do belo evento.

Um abraço.

O autor.